terça-feira, 10 de julho de 2012

EVolução é Vida- Por André Cozta



Tanto em nosso dia a dia, enquanto espíritos encarnados, quanto em todos os momentos da nossa jornada evolutiva, em todas as suas etapas, em todas as realidades pelas quais passamos, carregamos o senso de Evolução em nossos íntimos.
Por que, mesmo que quase de forma instintiva, evoluir, galgar novos degraus, é o maior dos nossos objetivos.
E por mais que, mentalmente, um ser esteja paralisado, lá no fundo, bem lá no fundo da sua consciência, o que mais deseja é a Evolução.
Por que este, o sexto sentido da Vida, é o que nos move.
Então, Evolução é Vida e, Viver, na real acepção do termo, é Evoluir.
Costumamos sempre dizer que aquela pessoa que está mentalmente paralisada, não vive e que está “vegetando”, não é mesmo?
Dizemos isso, por que o ser está estagnado, respirando, mas não “vivendo”. E, como já dissemos em outro texto, vida é movimento.
Usamos este termo de forma preconceituosa, sem nos apercebermos até, que o vegetal não só vive, como é vida em si mesmo. Vive, é vida e sustenta a Vida. Tanto ele, o vegetal, quanto o cristal, o mineral, o fogo, o ar, a terra e a água. Os sete elementos sustentadores da Vida em nosso planeta, animados pelas sete essências divinas, as sete virtudes, os sete princípios do Criador.
E pelo fato de percebermos um vegetal “parado”, nossa limitadíssima visão nos faz crer que ele não “vive”. Porém, precisamos ter consciência de que o vegetal ali “parado” vive (muito mais do que muitos de nós) intensamente, o tempo todo, sustentando a si mesmo e a Vida ao seu redor.
Então, o vegetal, a água, o fogo, a terra, o mineral, o cristal e o ar, são Vida e são a própria Evolução manifestada na Criação.
Por que, se sustentam a Vida, sustentam a constante evolução de todas as espécies e seres vivos em nosso planeta.
Portanto, podemos agora concluir que, matar uma árvore, por exemplo, é estagnar a evolução. E é tão prejudicial ao Todo, quanto aquele irmão que tem seu mental paralisado e não consegue “viver” intensamente (ao menos aos nossos olhos).
Muitos rios, lagos, estuários, lagoas, praias, por este mundo afora, se não estão mortos, agonizam em suas vidas, por conta do mau trato a eles dado por outra espécie integrante da Natureza: a humana.
Sim, exatamente! Tenho registrado isto em vários textos publicados aqui neste blog e em outros espaços. Nós, os humanos, fazemos parte da Natureza! Ela, a Natureza Mãe, manifestadora dos  sete princípios divinos de nosso Deus Pai, não é nossa servidora! Não da forma “feudal” ou “escravagista” que nós, os encarnados, costumamos atribuir-lhe.
Se a nossa Mãe Natureza nos serve, sustentando nossas vidas e, por consequência, a vida no planeta, é por que, a matemática perfeita neste caso é: “sustenta e serás sustentado!”. Quando falo em matemática perfeita, refiro-me à Ciência Divina. Assim quis Deus, e assim, infelizmente, não estamos cumprindo.
Por que a Natureza nos sustenta e por nós deve ser sustentada.
Tenho batido por demais nesta tecla, justamente para provocar esta reflexão naqueles que chegam aos meus textos.
Você, umbandista, cultuador dos Sagrados Orixás ou simpatizante do culto à estas Divindades Naturais, pare e pense agora: está mais do que na hora de mudarmos nossos pensamentos e atos! Ou, não mais evitaremos o caos completo no plano material da vida humana, a sua total destruição. Vamos nos conscientizar enquanto ainda há tempo!
Se, temos , ela nos é manifestada pelo Sagrado Pai Oxalá e a Divina Mãe Oiá-Tempo. Se, temos Amor, ele nos é manifestado pela Sagrada Mãe Oxum e o Sagrado Pai Oxumaré. Se, temos Conhecimento, ele nos é manifestado pelo Sagrado Pai Oxossi e a Sagrada Mãe Obá. Se, temos Justiça, ela nos é manifestada pelo Sagrado Pai Xangô e a Sagrada Mãe Iansã. Se, temos Lei, ela nos é manifestada pelo Sagrado Pai Ogum e a Sagrada Mãe Egunitá. Se, temos  Evolução, ela nos é manifestada pelo Sagrado Pai Obaluayê e pela Sagrada Mãe Nanã Buruquê. Se, temos Geração, ela nos é manifestada pela Sagrada Mãe Iemanjá e o Sagrado Pai Omolu.
Se, temos Vitalidade, ela nos é manifestada pelo Sagrado Orixá Exu. Se, temos Estímulos, nos são manifestados pela Sagrada Orixá Pombagira. E se temos complicações, a elas damos fim, descomplicando-as, pela atuação do Sagrado Orixá Exu Mirim.
E se queremos vislumbrar nossas possibilidades de futuro, as temos pelo amor de Deus, manifestado à nós de forma oracular, através do Sagrado Orixá Orunmilá-Ifá.
Temos os nossos guias espirituais, da direita e da esquerda, manifestando todos estes Poderes Divinos aqui citados.
Temos os nossos trabalhos espirituais, os nossos Terreiros de Umbanda. Temos os sítios naturais, os pontos de forças (matas, cachoeiras, praias, lagoas, cemitérios, pedreiras, campos abertos, estradas...) para que neles possamos e consigamos acessar aos Poderes de Deus, os Sagrados Orixás.
Temos tudo isto e ainda reclamamos, quase que diariamente, dizendo que a vida não está boa.
Então, proponho: que tal trocarmos “vida” por Vida e “andar pra frente” por Evolução?
Afinal, Vida é Evolução e Evolução é Vida!
A partir deste texto, que encerra esta série sobre os Sete Sentidos da Vida, espero provocar em cada um que até aqui chegou, uma profunda reflexão, acerca de si mesmo, do mundo ao seu redor e da sua relação com o Todo.
Vamos amar a todos os nossos irmãos, à Natureza, aos Sagrados Orixás e à Deus, Ele sim, o combustível que nos movimenta o tempo todo no rumo Evolutivo da Vida!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário